Jackson Barreto fala sobre subsídios da PM e pagamento de salários em entrevista

9 de dezembro de 2019 - 16:53

A respeito da folha de pessoal, Jackson Barreto declarou que, junto às Secretarias de Estado de Planejamento (Seplag) e da Fazenda (Sefaz), e outros órgãos, está finalizando a discussão do tema para que, já na próxima semana, haja sinalização das decisões que colocarão em dia o pagamento dos servidores e aposentados

(Foto: Jorge Hernrique/ASN)

(Foto: Jorge Hernrique/ASN)

O governador Jackson Barreto concedeu entrevista na manhã desta terça-feira, 20, ao telejornal Bom Dia Sergipe, da TV Sergipe. Na ocasião, enfatizou o esforço do Estado em promover a política de subsídios para a Polícia Militar, garantindo que os profissionais não só reúnam as vantagens, como as incorporem aos seus salários, inclusive após a reforma. Jackson também anunciou que busca solução imediata para colocar em dia o salário dos servidores, resolvendo também o problema da folha dos aposentados. O governador ainda destacou que investe em obras na capital sergipana para melhorar a saúde, mobilidade e garantir qualidade de vida a população.

“Esse é um governo democrático, que reúne a tropa da polícia e discute o assunto abertamente pela segunda vez. A progressão é a maior reivindicação e o maior sonho dos militares e garante a promoção. Em 2014, discutimos com alguns setores de servidores do Estado a aplicação de subsídios em 2016, incluindo o Plano de Cargos Carreiras e Vencimentos (PCCV). E agora estamos fazendo proposta de juntar todas as vantagens que o policial tem para incorporar isso ao seu salário, de modo que ele possa levar isso quando for reformado. A ideia é oferecer a partir de 2018”, esclareceu o governador após questionamento do apresentador Lyderwan Santos.

A respeito da folha de pessoal, Jackson Barreto declarou que, junto às Secretarias de Estado de Planejamento (Seplag) e da Fazenda (Sefaz), e outros órgãos, está finalizando a discussão do tema para que, já na próxima semana, haja sinalização das decisões que colocarão em dia o pagamento dos servidores e aposentados. “Resolveremos o problema, principalmente dos aposentados, pois, para nós, é uma angústia vê-los sem receber em dia. Então, asseguro que estamos criando as condições e tenho certeza que próxima semana passaremos para a sociedade nossas decisões”.

As obras na capital sergipana e Nossa Senhora do Socorro também foram alvo de discussão do governador. Ele relatou sobre o novo acesso a Aracaju pela nova avenida Doutor Lauro Porto. São mais de R$ 20 milhões investidos em uma grande via que sai da Santa Gleide, próximo à avenida Maranhão, e vai até a BR 235, no trecho do viaduto que dá acesso ao município de Itabaiana. Jackson destacou que a intervenção contribui para melhoria da mobilidade urbana, da qualidade de vida, oferecendo para a população da Zona Norte novas vias de acesso.

“Além disso, nesse exato momento, estamos investindo R$ 220 milhões em obras em Aracaju, e demonstramos nosso compromisso com a capital. Além da nova entrada, chamada de Doutor Lauro Porto, temos o Centro Administrativo, onde estamos fazendo toda infraestrutura de avenidas e terraplanagem. Estamos construindo, também, o Centro de Referência para todas as pessoas com deficiência, entregamos a nova avenida do aeroporto, investimento do Estado de mais de R$ 40 milhões, e discutimos com o Governo Federal sobre política nova de conclusão da intervenção no aeroporto. Na região do Chica Chaves, no bairro Industrial, foram mais de R$ 20 milhões. E estamos fazendo dois corredores de transporte em Aracaju, um ali na avenida João Rodrigues, que começa pelo Marcos Freire, e outro é o braço do viaduto do Detran, que liga a avenida Gasoduto, do Orlando Dantas, a Rio de Janeiro”, elencou, acrescentando que já houve licitação para construção do Hospital do Câncer, que terá sua obra iniciada.

Ainda no que tange aos investimentos, Jackson Barreto pontuou sobre a Usina Termoelétrica Porto de Sergipe, que gerará empregos e renda no estado. Ele comentou que no dia 28 de setembro será lançada a pedra fundamental da obra no município de Barra dos Coqueiros, em espaço onde estava prevista a construção do polo cloro químico. São destinados recursos de R$ 5 bilhões. “Teremos a maior termoelétrica da América Latina, e creio que ela será o maior investimento do nosso país em 2016. Apesar das dificuldades, o Estado continua trabalhando para atrair investimentos, criar empregos e gerar renda”.

A saúde foi outro tema de perguntas. Jackson Barreto respondeu sobre a implantação de leitos de UTI no Hospital da Polícia Militar (HPM), comentando que o Estado trabalha para colocar a estrutura em funcionamento, e complementou dizendo que, nesse sentido, o governo promove mais investimentos. Só no Hospital de Urgências de Sergipe (Huse), foram 60 novos leitos. Já o Hospital Regional de Itabaiana, que não contava com o serviço, passou a oferecer espaço de UTI para os usuários do serviço público de saúde. Quem sai ganhando também, segundo o governador, é o servidor do Estado, que tem acesso em municípios do interior a unidades reformadas e ampliadas do Ipesaúde.

Dificuldades

Em busca de soluções para atrair recursos para Sergipe, o governador contou que se reuniu, junto a outros 14 governadores, em Brasília. O objetivo do encontro era pleitear junto ao presidente Michel Temer o repasse de verbas de repatriação para Estados do Nordeste, Norte e Centro-Oeste. “Esperávamos uma recepção por Temer, mas fomos recebidos pela secretária do Tesouro Nacional e o ministro da Fazenda. Esse disse que não tinha condições de ajudar os estados. Antes, havia entendimento e compromisso de Temer com os governadores no sentido que fossem divididos os R$ 7 milhões de recursos de repatriação do exterior. Nesse caso, seriam cerca de R$ 350 milhões para Sergipe, o que daria para resolver o problema de um mês da folha e colocar em ordem as finanças do Estado. Porém, o Governo Federal negou esses recursos”, explicou.

Somente em 2016, segundo Jackson Barreto, Sergipe perdeu R$ 300 milhões do Fundo de Participação dos Estados (FPE) e mais R$ 300 milhões do ano passado. “Lamentavelmente, o Governo Federal não deu a Sergipe a ajuda que ofereceu ao Rio de Janeiro e a outros estados durante o processo de renegociação das dívidas. Apenas para São Paulo foram destinados R$ 500 milhões por mês, e para outras localidades, nada. Essas perdas deixam o governo em situação de humilhação. Já pedi desculpas públicas mais de uma vez aos servidores. Não é que o Estado não esteja arrecadando, ele está deixando de receber repasses do Governo Federal, que não viu a situação do Nordeste e, o mais grave ainda, impediu de os governos fazerem operação de crédito externo”.

No que diz respeito ao sistema penitenciário, o governador disse que, na semana passada, houve reunião com o ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, o secretário de Estado de Justiça, Antônio Hora, e o de Segurança Pública, João Batista, para discutir a questão. “Mostramos a irresponsabilidade do Governo Federal, que está fazendo contingenciamento de recursos penitenciários e fomos buscar recursos para equipar dois novos presídios e colocar pessoal para trabalhar nesses locais. Deixamos reivindicações com ministro, que prometeu ajudar o estado”.

(Fonte: ASN)


SEAD - Secretaria de Estado da Administração
Rua Duque de Caxias, 346 - São José - CEP: 49015-320 - Aracaju - SE
Tel: (0xx79)3226-2200 - Fax:(0xx79)3214-0306
Atualizado em: 02/12/2021 08:10:08am
Horário de Atendimento: 07h às 13h